terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Escritos avulsos

[Texto cotidiano]

A ceia:.

Havia passado pelo centro da cidade, o carro ia rápido, talvez mais rápido eram seus pensamentos, tão distantes da idéia de um bom natal, e por um momento pensou em pessoas q não tinham um natal, ficou mais triste ainda, havia discutido com seu pai sobre coisas fúteis em plena véspera de natal, o mundo não parecia mto certo para ele, então fechou os olhos...

Abriu e estava lá, sua mãe a lhe falar, vamos comigo, vamos pare de timidez, não mãe não quero, estou indisposto para ver alguem, estou passando mal, vamos filho, sem você eu não vou, vamos ,vamos!Engoliu tudo aquilo e afirmou sua força, entrou e eles vieram, parentes q ele raramente via, vinham lhe cumprimentar, um a um, passou por sua tia (irmã de sua avó) Ivete, ela estava muito bonita, e foi o que ele disse, Tia você está linda :), ela lhe abriu um sorriso, daqueles sinceros e agradeceu.Sua prima lhe sorriu, ele tentou piscar mas não sabe ainda se foi bem, a prima mais linda o abraçou(isso deve me complicar amigo leitor.. =x).Eram vários cumprimentos e todos diziam, nossa como você cresceu, uaL como você está magro, o que fez pra estar magro? Ele ainda muito tímido e procurando um cantinho, respondia, obrigado, ainda bem, tinha q crescer uma hora né ;P, ah foi o vestibular =x(ou o estresse dele, ou algo natural, apenas não sabia explicar), estava feliz, começava a sentir o ar do seu tão esperado natal.

Começou a conversar sobre a vida, se importava realmente com aquelas pessoas, falou de línguas, negócios, viagens, idéias criativas, cultura e faculdade.

Passou a observar, enquanto falava, as mulheres, sempre aquilo, era tão bom vê-las com suas fofocas e disputas, os homens escoliam cantos ou circulavam a falar sobre futebol e negócios, adorava aquilo, era akeeela alegria, ele podia sentir no ar sua felicidade aumentando.

Tio, aproveite q está indo embora para pegar seu presente comigo, ok, estou indo. Ah, legal, não vi este filme ainda, olha só os presentes q eu ganhei(mostrou), seu presente está na casa da sua avó, que acha do boné da nike e da camisa azul? Muito bonitos, são seus então...

Na casa da avó que ama muito ele anseia pelo tão esperado sorvete, aquele q só é servido uma vez ao ano. Disputa-o com sua prima. Cheio e gordinho, vai Victor feliz dizer pra si, como eu amooo o natal!

3 comentários:

Ana Paula disse...

ah q Natal bonito :)
família é sempre td de melhor que a gente poderia imaginar.
é com ela q passamos os melhores momentos.. dela vem as palvaras mais bonitas.. a confiança mais sincera..
eu gostaria de ter a minha pra sempre..

Sâmella Uara disse...

' aah como vc escreve bem nenem. não sabia dessa sua vocação. lindo lindo o post. q seu natal seja sempre assim, feliz e cheio de lembranças boas. seus textos são lindos *-*

aryanna katryne disse...

que lindo victor! vc escreve mt bem adorei ler.. continue escrevendo hein